2

“Mais que sim”, diz idosa de 90 anos após sete décadas de ‘noivado’ (G1)

27 Jan 2015 por Redação em Ta na mídia

Casal vive em Tatuí (SP) e demorou dois anos para reunir documentos.
Noivo tem 103 anos e comemorou: ‘Estava esperando por isso.’

Fonte: portal G1

Juntos há mais de sete décadas, o casal Davi Bitencourt, de 103 anos, e Maria Poutrole, de 90, oficializaram a união após todos esses anos de “noivado” nesta segunda-feira (26), em Tatuí (SP). Em frente ao juiz, os dois confirmam a vontade de oficializar a união.

Aparentemente ansiosos, os noivos chegaram ao cartório de registro civil sem atraso. Para um dos dias mais importantes da vida do casal, o aposentado Davi estava bem elegante, usando um paletó branco e gravata. Já a noiva escolheu usar um colar de pérolas e uma bolsa dourada para dar um charme especial à roupa branca. Depois do sim, David comemorou: “Estava esperando por isso há 70 anos.”

O que chamou a atenção dos convidados foi o momento da confirmação do casal. Como o noivo tem problemas de audição, Maria deu uma ajuda ao futuro marido sussurrando a resposta “sim” nos ouvidos dele. Já no momento dela não havia dúvidas: “Mais que sim (risos)”, exclamou.

Há 10 anos, a aposentada Ana Alice Soares passou a conviver com o casal em Tatuí. Ela foi responsável por todos os trâmites para viabilizar o casamento. Segundo Ana Alice, foram dois anos atrás de todos os documentos, desde certidão de nascimento, RG e outros. “Ela para mim é minha irmã mais velha.”, comenta Ana Alice.

O juiz que fez o casamento, Luiz Gonzaga Ferraz, também diz ter ficado emocionado com o casamento. “É emocionante sim, não tem como. É um acontecimento raro, não é para todo mundo. Ainda bem que participei”, ressalta.

O casal morava em São Paulo e teve um filho que hoje está com 58 anos. Ana Alice conta que foi a pedido do filho que os dois oficializaram a união. “O sonho do filho era pegar a certidão de casamento deles. Quando soube, falei que iria fazer isso por ele”, revela a amiga.

Há 70 anos…
Enquanto aguardava para se casar, Maria lembrou de como os dois se conheceram. De acordo com a noiva, foi por causa do trabalho e falaram-se por telefone durante três anos antes do primeiro contato pessoalmente. Quando finalmente se viram foi a amor à primeira vista, revela Maria. “Tinha que passar a cotação do algodão todos os dias para ele, que era do sindicato. Ele era o presidente. Pessoalmente foi emocionante, porque não conhecia, só conhecia a voz e não a pessoa. Quando conheci a pessoa foi um encantamento total”, afirma.

(matéria publicada no dia 26 de janeiro no portal G1)

COMPARTILHE

  • 1834 Visualizações

ESCRITO POR

Redação

Perfil do Autor
COMMENTS

Deixe um comentário