0

Fontes da motivação na velhice

26 Oct 2015 por Gustavo Boog em Aposentadoria

Maslow, um psicólogo americano, nos dá importantes dicas para a motivação.

Ele estabeleceu a hierarquia das necessidades humanas, afirmando que só necessidades insatisfeitas motivam, e para que uma necessidade se manifeste, é necessário que as anteriores estejam razoavelmente satisfeitas. Se nós terminamos de almoçar uma bela feijoada, não adianta nos oferecerem outro prato delicioso, pois nossa necessidade de estar alimentado está satisfeita. São estas as cinco necessidades, na seguinte ordem:

  • Básicas: necessidades de sobrevivência, ou seja, respirar, água, comida, abrigo, roupa etc. São fatores que garantem que estejamos vivos.
  • Segurança: muito ligada às básicas, visando assegurar que estas possam ser satisfeitas continuadamente. Por exemplo, ter um dinheiro guardado na poupança, ter um local para morar, ter um plano de saúde são exemplos desta necessidade.
  • Sociais: as duas necessidades anteriores estão muito focadas no indivíduo, e as sociais são as necessidades de nos relacionarmos com outras pessoas, de fazermos parte de um ou de vários grupos, tais como a família, o grupo do trabalho, os formados numa mesma escola, os que têm um mesmo hobby ou esporte, ou ser parte de um coral, de uma associação religiosa, os moradores de uma rua ou da torcida de um time de futebol. Os grupos são formados por pessoas que têm em histórias, coisas ou outros fatores em comum.
  • Autoestima: quando eu tenho a necessidade social satisfeita, surge uma nova, a de ser um membro destacado no grupo, ou seja, ter autoestima, prestígio e status dentro do grupo. Nesta necessidade quero ter uma posição de destaque no grupo, com reconhecimento pelo que sou e pelas coisas que faço, como premiações, diplomas, medalhas, troféus, enfim, símbolos visíveis.
  • Auto realização: é a mais elevada das necessidades humanas, ou seja, utilizar plenamente o potencial como ser humano. Eu não preciso mais de reconhecimento dos outros para mostrar o quanto eu sou competente: eu sei que sou, e não dependo de ninguém para comprovar isto, que não é arrogância, é simplesmente o fato de eu saber que eu sou bom em uma série de qualidades que tenho.

Como as necessidades se manifestam nos idosos?

  • Básicas: ter algum tipo de rendimento para assegurar a sobrevivência, ter comida, abrigo, apoio médico, remédios. O abrigo pode ser, por exemplo, a sua casa, ou estar junto com parentes ou um cuidador, ou ainda uma casa de repouso. Como a saúde e vitalidade dos idosos tende a declinar, as necessidades básicas são extremamente importantes nesta faixa de idade. Uma doença crônica pode afetar seriamente as básicas, minimizando o surgimento de outras necessidades.
  • Segurança: ter algum tipo de reservas financeiras, ter um plano de saúde.
  • Social: muitas vezes os idosos tendem a se isolar, e esta necessidade muitas vezes fica mal atendida. Os idosos têm a vontade de compartilhar suas experiências, as coisas que aprenderam na vida, de conversar. Atividades como participar de palestras, de grupos de estudo, de atividades voluntárias, de dançar são possibilidades que devem ser exploradas. Ficar em casa trancado, lendo, dormindo ou assistindo TV não devem ser as únicas atividades para os idosos. Na medida do possível, sair de casa e ir ao mundo é uma boa forma de atender a esta necessidade.
  • Autoestima: muitas vezes o idoso se fixa naquilo em que foi bom: fui um bom pai ou mãe, fui um bom profissional etc. Na medida em que declinam as capacidades físicas e talvez até as intelectuais, muitas coisas nas quais eu já fui bom não podem mais ocorrer, mas isto não invalida as possibilidades de fazer algum tipo de trabalho voluntário, de ser um bom mentor para os mais jovens, de contribuir para a harmonia na família. Com isto cada um pode melhorar sua autoestima.
  • Auto realização: é quando temos a sensação de estarmos contribuindo plenamente para a comunidade na qual vivemos, no uso pleno das capacidades que desenvolvi ao longo da vida, e, de certa forma, a sensação de que, na medida das possiblidades de cada um, surja o sentimento de dever cumprido.

Como a motivação decorre de necessidades insatisfeitas, ao a identificarmos teremos a chave para estarmos motivados.

COMPARTILHE

  • 2581 Visualizações

ESCRITO POR

Gustavo Boog

Gustavo é escritor e coach, apoia pessoas, idosas ou não, a tomarem decisões para serem mais plenas, terem clareza de objetivos e de significados de vida. Conduz palestras e workshops sobre temas comportamentais, criou o grupo “Mais Velhos, Mais Sábios” no Facebook. É escritor de mais de 20 livros e E-Books sobre desenvolvimento pessoal e organizacional. Fones: (11) 5183-5187 ou 5183-5096 Celular: (11) 99137-7691

Perfil do Autor

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.